Quinta, 23 Novembro 2017

31/08/2014 - A MALDADE HUMANA

Escrito por  Publicado em Direito e Avesso Domingo, 31 Agosto 2014 23:03
Avalie este item
(0 votos)

                     “Papa Francisco, santificai-o já!

 

                     São Bernardo, rogai por nós.”

 

                   Foi assim que concluí artigo, publicado neste portal, em maio passado, sobre o martírio do menino Bernardo Boldrini, encontrado em uma cova rasa, na cidade de Frederico Westphalen, no Rio Grande do Sul, a quem chamei de Mártir de Três Passos. Incluí-o entre os Santos Inocentes da Igreja Católica, - aqueles infantes  mortos pela ira de Herodes, que temia a vinda do Rei dos Judeus para tomar-lhe o poder. Fiz um apelo desesperado ao Papa Francisco para canonizá-lo imediatamente, pois os milagres necessários já aconteceram.

 

                   Volta a ser notícia a morte deste santo menino. Agora, por causa da audiência das testemunhas do processo criminal movido contra seu pai, a madrasta,  a assistente social e o irmão desta, acusados da terem assinado a criança, ou contribuído para sua morte. Não é o primeiro caso de pais que assassinam filho, - lembram-se de Isabela Nardoni? -, mas ninguém, que preze a vida, se acostuma com barbaridade assim, sempre provocando  um sentimento de comiseração em relação aos acusados.  

 

                   Há poucos dias, um condenado à morte, pela justiça do Estado americano do Arizona, - que executa os condenados com uma injeção letal -, recebeu quinze vezes a dose normal de dois  produtos. Sua resistência às drogas fez seu sofrimento durar quase duas horas, quando uma injeção mata qualquer humano em apenas vinte minutos. E o que tem a ver essa execução com a morte de Bernardo? É que a perícia encontrou em seu corpo resquícios de  midazolan, uma das duas drogas aplicadas no resistente americano condenado à morte. Como os supostos executores da criança têm formação médica, a escolha do medicamento pode ter sido feita para não haver erro de aplicação. Isso leva a não acreditar na tese de morte acidental, por ingestão de excesso de calmante, mesmo sabendo do que disse Paracelso, médico e físico do século 16: A diferençaentre um remédioe um venenoestá só na dosagem”.

 

                   Mas, outros fatos mostram que Bernardo vivia em verdadeira situação de tortura diária. Circula na Internet áudio, retirado de vídeo, recuperado pela perícia do celular de seu pai, cujas imagens ainda não foram divulgadas, em que nosso mártir grita, desesperado, pedindo socorro, diante da agressão de sua madrasta, que disse: “vou agredir mais na próxima vez que tu abrir a boca para falar de mim”, com a presença complacente de seu pai, que gravava a cena. E fala mais: “Tu não sabe do que eu  sou capaz! Eu prefiro apodrecer na cadeia a viver nesta casa, contigo incomodando!” E Bernardo, com a sabedoria de sua inocência, pensou em sua irmã: “Coitada da Maria, vão agredir ela também”. Ao que parece, o crime já pode estar elucidado, embora não nos caiba julgar.

 

                   As notícias sobre processo da morte de Bernardo, que expõem a frieza de sua execução, renovam a comoção nacional, nascida de sua morte. Agora, os habitantes de Três Passos (RS) tomaram uma memorável decisão, a de  criar um memorial, com estátua do menino. Pretendem que seu sacrifício não seja esquecido e a lembrança sirva para que não se repitam tais atrocidades.

 

                   A maldade humana, muitas vezes, age contra a vida. A vida, contudo, é capaz de acabar a maldade. Não tenho dúvida de minha primeira certeza:  “Papa Francisco, santificai-o já! São Bernardo, rogai por nós.”E, nós todos, rezemos por seus algozes.

 

                                               Por Carlos Augusto Macêdo Couto 

Ler 727 vezes Última modificação em Domingo, 31 Agosto 2014 23:05
Redação TVC

Redação

Deixe um comentário

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar os autores pelo conteúdo do portal, inclusive quanto a comentários; portanto, a direção neste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Pessoas Online

Temos 60 visitantes e Nenhum membro online

contador online gratis
V
isitantes - Desde 01/09/2011